21.1.09

Anos 50, 60, 70 e 80. Quatro décadas de paixão!

Bem vindos ao espaço das memórias! Digo das boas memórias. E só destas.
Criar-se um blogue, a falar de coisas que aconteceram nas décadas de 50, 60, 70 e 80, não passa de uma ideia que já tenho à algum tempo, mas que por várias razões, como falta de disponibilidade de tempo, vamos sempre adiando para mais tarde. Mas agora é que é!
E porquê estas quatro décadas? - pergunta alguém!
Porque gosto delas todas! - respondo. Tão fortes nas suas características e tão diferentes entre si. Sem querer melindrar as outras três décadas mas os anos 50 destaca-se pelo seu design "tão anos 50" o chamado "The New Look".
Para os anos 60 bastava-me só referir os Beatles e mais algumas outras bandas que surgiram e que contribuíram com certeza, de uma forma significativa para novas formas de pensar e estar. Foi uma década de contestação e reivindicação, tendo como exemplo melhor o Maio de 68 em França, espevitando as sociedades a abrirem-se mais.
Os anos 70 foram por excelência a década do psicadélico, das cores e dos novos materiais experimentados no design de produto, na decoração, para já não falar da moda, tão marcante e quase espacial. Na música abundavam desde o chamado rock sinfónico ao disco sound. Anos frenéticos esses!
Os anos 80 marcam o início das novas tecnologias tão importantes hoje. Os primeiros computadores pessoais e os video-games aparecem e fazem loucura na malta. Nas telecomunicações os telemóveis dão os primeiros passos.
A electrónica no som e imagem vem em força do país do sol nascente com a inscrição "made in Japan", numa concorrência feroz à excelente qualidade europeia (principalmente britânica e países nórdicos como a Dinamarca) e americana. Novos sons surgem na música com bandas bastante criativas. Quem não se lembra na rádio do Rock em Stock do Luís Filipe Barros e do Som da Frente do António Sérgio. Programas de culto de onde a malta "pedia emprestadas" umas músicas para fazer umas mixcassetes para ouvir no carro.
Em Portugal é o despontar de inúmeras bandas, algumas chamadas de garagem e a tocarem em tudo o que é sítio. É o boom do "rock português" como se o rock tivesse nacionalidade!
Criam-se novos espaços alternativos e a grande onda é o Bairro Alto em Lisboa, considerando muitos que a verdadeira alma do BA, foi nessa época. Catedrais da música como o Rock Rendez Vous, Alcântara Mar, Plateau, etc, marcam as noites. Novos estilistas definem as tendências. O minimalismo influencia.
O objectivo, como já disse, deste espaço, é recordar, aos que viveram estes tempos e mostrar aos que não viveram, como é bom de vez em quando viajar atrás no tempo sem cair em saudosismos patéticos.
Algum revivalismo de vez em quando é óptimo! É o nosso sótão secreto. Vamos lá quando nos apetece e é onde guardamos quase todas as coisas boas do nosso passado.
Quem não tem as suas "memórias vintage" (recordações é um pouco piegas!) ou conserva alguns objectos vintage de estimação, de que não se consegue desprender!
Aqui se falará de muita coisa e de forma aleatória e para todos.
A linha editorial (este termo dá um ar importante à coisa) deste blogue é precisamente não ter linha editorial! Tudo o que for curioso, interessante, engraçado, popular e me aparecer à mão, colocarei aqui. Puro entretenimento só!
Contarei com todas as sugestões, comentários e críticas! Se não for assim, não valerá a pena.

Carlos Duarte

2 comentários:

  1. Anónimo18.3.09

    Parabéns ao blog

    é bastante diversificado e interessante
    ficamos desde já a aguardar as novidades dos chamados anos dourados

    ResponderEliminar
  2. Anónimo27.3.09

    Engraçado as coisas que este blog vai buscar, indo do engraçado ao sério. Gosto muito dos anos sixties.
    AAAdorei os pinguins que andam aí pelo blog.

    ResponderEliminar