23.3.09

discos na rua do Carmo











Não sei porquê!!!
Mas quando penso na rua do Carmo vem-me sempre à cabeça, discos! De vinil.
Porque a rua do Carmo era em casas de discos (chamavam-se discotecas na altura), como hoje a av. da Igreja é em farmácias! Várias na mesma artéria.
A mais antiga era de certeza a Custódio Cardoso Pereira & Cª, tendo-se dedicado mais tarde e até sair dali, praticamente a só vender instrumentos musicais.
Havia também a Discoteca do Carmo, a Discoteca Universal e a Melodia.
Além disso podia-se ir ao Grandella, aos Armazéns do Chiado e ao Eduardo Martins,
mas, claro que o sabor dos discos era outro.
Logo ali a uns metros e com o seu conhecido departamento de alta fidelidade,
estava também a Valentim de Carvalho.
pura terylene virgem colocará aqui brevemente,
a reportagem da inauguração da Melodia na rua do Carmo




Sem comentários:

Enviar um comentário